Entendendo a estrutura e a fragilidade do fio crespo.

 

Os cabelos são essencialmente uma estrutura composta por proteínas: queratina e melanina são as principais. Alguns fios são loiros, outros são pretos ou ainda ruivos e outros tons intermediários. A substância que faz as tonalidades variarem é a melanina. Quanto à estrutura, alguns fios são lisos, outros ondulados ou crespos. E a substância que define o tipo de estrutura capilar é a queratina.

A forma como a queratina é depositada no córtex capilar define a estrutura que este fio terá. Ou seja, a estrutura capilar é um fator geneticamente definido: se seus pais, seus avós e seus outros antecedentes possuíram cabelos lisos, você tem grandes chances de tê-los lisos também. Se, por outro lado, algum deles tiver tido cabelos crespos, sua chance de ter cabelo crespo aumenta, embora isso não seja uma regra absoluta. Em uma pesquisa recente, cientistas descobriram que o gene responsável pelo formato do cabelo é o trichohyalin e ele é dominante: pai de cabelo liso e mãe de cabelo crespo (ou vice e versa) resultará, provavelmente, em um filho ou mais de cabelos crespos.

Ainda sobre o papel da queratina no fio crespo, ela é distribuída no córtex capilar de forma elipsoide (em fora de elipse). Isso quer dizer que há uma quantidade maior de queratina ao redor do fio, pelas laterais, e menos queratina no centro haste capilar. Ou seja, o fio crespo é quase oco em sua camada interna.

Essa forma curiosa de depósito da queratina no cabelo não influencia apenas no visual, deixando ele mais crespo ou menos crespo, como também influencia na sua fragilidade. Sim, pois como no centro da estrutura há pouca queratina, o fio é mais propenso à quebra. Por isso, fios crespos pedem o dobro de cuidados se comparados às outras estruturas capilares: hidratações frequentes, manuseio delicado, shampoos especiais com pouco sulfato, entre outros.

O cuidado com a química é um alerta especial: por conta dessa estrutura mais frágil dos cabelos crespos, a química aplicada sobre eles tem um potencial enorme de causar danos. É preciso proteger os fios de todas as formas antes de qualquer procedimento. Para fazer um alisamento, por exemplo, é necessário mudar a distribuição da queratina dentro do córtex abrindo-se bem a cutícula do cabelo para que a química aja internamente a ponto de alterar sua estrutura. Por fim, estas cutículas precisam ser devidamente fechadas. Se o alisamento pular algum passo, os danos podem ser irreversíveis aos cabelos crespos!

Sobre o Autor

Nenhum Comentário

Você pode postar o primeiro comentário de resposta.

Deixe um comentário

Digite seu nome. Por favor insira um endereço de e-mail válido. Por favor, digite uma mensagem.